Image Map

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O Tempo, efêmero e pai!


Por: Prof. Luizel Simões



Um dia, aprendi que o tempo é efêmero. Na religião que professo, aprendi que o tempo é pai. Quaisquer das definições que tentarmos assimilar, chegaremos a um significado comum às duas: o tempo não volta. Salvo na ficção, não temos outra forma de retrocedermos ao que passou, senão nossa própria decisão por mudanças de comportamentos, com revisão de tudo aquilo que adotamos como nossas supostas verdades relativas.
O ano de 2014, ao que parece, foi um dos 365 dias que mais se apropriou da efemeridade do tempo. Ele passou, e passou rápido. Parece que foi ontem que estávamos a cear com nossas famílias e a confraternizar com nossos círculos de amigos e conhecidos. De repente, o natal está de volta. De repente, como numa velocidade jamais experienciada, pelo menos particularmente, em nossas passageiras vidas neste plano, um novo ano chega.

Por outro lado, como um bom pai, a prover os seus, o tempo concedeu, por méritos, vitórias a nós. Alguns colegas, romperam 2014 como estudantes, e agora dele se despedem como profissionais. Outros, sem emprego, e agora neófitos numa ocupação com carreira de sucesso anunciada. Alguns, sem expectativas de estudos, e hoje, são universitários, inclusive premiados com trabalhos em eventos da profissão. Ainda como pai, promoveu severas correções a alguns, por nossas atitudes equivocadas, mas, mesmo assim, contribuiu para sarar nossas feridas.

Ah tempo...! Oh tempo...! Que saibamos compreender que ele é efêmero e, assim, aproveitá-lo com intensidade e responsabilidade. Que tenhamos sabedoria para aceitar o seu amor de pai e, assim, reconhecer cada oportunidade que nos proporciona para crescermos como humanos e, aceitar as suas correções.

Tempo, o passageiro pai, que nunca volta. No entanto, sempre nos deixa as suas marcas, o seu DNA.

Que venha um novo ano; que venha um novo TEMPO!


Èpao,  EPA Baba !




0 Comments:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Contribua em nossos artigos com sua opinião, crítica ou sugestão. Este site não aceita comentários de anônimos. Lembrando que os comentários são moderados. Obrigada!

 
© Site do Pro-SEAR - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: L.S.d.B..
imagem-logo